Lovecraftianos Parte Final – Conclusão

by Marc Viñas (Spain)

 

Cthulhu por  Marc Viñas

 

 

‘Eu sou o Caminho. Nenhum homem deverá entrar nos salões de Seu Reino de Esmeralda, exceto através de mim. Os ensinamentos do Senhor Cthulhu são meus, e eu os passo a meus discípulos conforme instruído por Ele.’

-Liber A:O (“Ancient Ones”)

Então, aqui estamos novamente, e eu espero sinceramente que a maioria de vocês ainda possua sanidade o suficiente pra este último post sobre os Mythos Lovecraftianos. Após estas breves apresentações, paira no ar ainda a pergunta: “Mas isso tudo é real, ou apenas uma ficção muito bem elaborada?” 

E aqui, possuímos duas respostas plausíveis para isto:

I) É tudo realmente uma grande ficção. Tudo que eu lhes disse até agora saiu da mente perturbada de um doente hipocondríaco, mas genialmente inteligente, que passou para o papel seus piores pesadelos e fez um estrondoso sucesso póstumo. O assustador nessa hipótese? Desde então, um grupo de adoradores aficionados pelos Antigos passou a prestar culto a eles de forma tão intensa, dedicar tanta energia, de tantas formas possíveis, que tais monstros da fantasia se tornaram uma poderosa Egrégora. Deuses artificiais, criados pela Força de Vontade de inúmeros grupos ao redor do mundo, que dedicam suas existências a manutenção dessas entidades.

II) A teoria mais apoiada pelas ordens esotéricas que utilizam-se dos cultos aos Antigos, é de que Lovecraft não era meramente um escritor. Mesmo sem ter conhecimento disso, ele estava sendo influenciado pesadamente por energias Abissais, que o conduziram em sua empreitada de decodificar e mostrar a humanidade os contos, histórias e meios de acessar as energias a muito adormecidas, que são aguardadas em um despertar completo que levará a Ruína do mundo como conhecemos, e a reprogramação dele a imagem e semelhança dos Antigos que espreitam a nosso cardume humano através da superfície vítrea da massa de água de nossos oceanos… prontos para nos engolirem com suas mandíbulas, nos lançando a escuridão de suas gargantas e a total obliteração daqueles incrédulos.

c035e4f481e13579b61ffa9afc751c43

 

 

A ‘Esoteric Order of Dagon’ (E.O.D) é um exemplo de grupo sério trabalhando ao redor desta egrégora. A aproximadamente 30 anos eles dedicam-se aos estudos e práticas envolvendo Cthulhu e os outros mythos. Consideram que Sonhos são aspectos importantes da Magia, sendo pontos de foco em doutrinas como o Shamanismo, Bruxaria e Vodu, e portanto não podendo ser deixados de lado em algo importante como uma mensagem enviada pelos Abismos e codificada por Lovecraft.

A ordem é realmente difícil de acessar, por possuir muita informação distorcida na net. Mas tem como ponto importante o ‘Manifesto do Aeon de Cthulhu’, escrito por Randolf Carter em 1981, com forte influências Thelemicas.

Outro grupo esotérico que merece destaque em relação as práticas Lovecraftianas é o australiano ‘Temple of THEM’. Fortemente influenciado pelos mythos, eles dão grande relevância ao autor. Nas palavras do THEM:

Lovecraft – Pai do Temple of THEM 

“Qualquer poderosa reputação ou feitiçaria que o Temple of THEM induz a raízes e expressões que Lovecraft deu ao mundo e pôs em movimento. Nosso próprio nome, nossa descrição dos Tentáculos, forças do espaço exterior e interior, entidades negras que reinam sobre nós, o ‘Themonomicon, ângulos, geometria estranha, dimensões estranhas, redes estelares, Deuses Antigos, tudo está lá. Você pode sentir isso através dos desenhos de Ryan e através do Thrasz, através do amor da Magia negra e do Illuminatismo, através dos tipos de rituais as forças antigas empregadas e no lexicon de termos unicos utilizados para descrever o mundo em uma cosmovisão diferente. Nós vivemos a continuidade das coisas que Lovecraft deu forma, nós somos seus Shoggoths, seus Yog-Sothoth e Azagthoth. Se Carl Jung é a mãe de nossa corrente, Lovecraft é o pai DELES. Quer sejamos ‘apenas’ historiadores originais ou provedores de um portal para os mistérios desconhecidos nós também teremos evoluído por nossos visitantes e sem dúvidas cada um de nós difere em opinião. Eu acho que o THEM sempre teve sido quintessencialmente Lovecraftiano e sabendo disso após vagar pelos desertos buscando nossas raízes em locais estranhos somente solidificou este edifício como uma real obra de arte. Tudo é sobre as ilustrações de Ryan e os gritos de Lovecraft. Seu culto literário/oculto do Temple of THEM é uma ascensão direta da descendência de sangue, pensamento e sentimento daquilo que Lovecraft trouxe a existência. Carinhosamente e lealmente perpetuado. Ainda que de alguns jeitos estranhos pra porra.”

Thrasz

Thrasz – O Sinal DELES

Portanto, tendo conhecimento de que existem ordens e pessoas totalmente dedicadas ao estudo de energias negras perigosas e destrutivas, oriundas dos mais profundos abismos da mente e da negritude dos oceanos, você ainda quer atestar por si mesmo a veracidade ou não destas energias?

Sim. Lógico.

Invocando/Evocando os Antigos

coc_09

 

Há várias formas de fazer rituais, tudo é adaptável ao meio do magista e a seus métodos. A primeira etapa (supondo que você já saiba se proteger, lógico…) é conseguir uma cópia impressa do Necronomicon, encapada e ‘pronta para uso’.

Monte seu altar, que deve conter no mínimo: Um sigilo do Deus ou Antigo a ser chamado, a sua cópia do Necronomicon, um amuleto dedicado a algum Deus do Abismo (seja Ctulhu ou qualquer outro) e preferencialmente, adorne os 4 cantos da mesa com 4 sigilos de Yog-Sothoth. Encontrar estes sigilos fica a seu encargo, pois a pesquisa fará parte do processo ritualístico.

Diante de seu altar, clame diariamente pelas energias e forças do Abismo. Chame por seus nomes, encontre a exaustão diante do altar fazendo o máximo para carregar os sigilos.

Por um período de três meses vá a algum local com grande corpo de água – seja um lago, rio ou (preferencialmente) oceano. Medite na beira ou dentro deste local, tendo em suas mãos o sigilo previamente preparado com as tinturas necessárias, riscado em pedra ou casca de árvore. Quanto mais natural o elemento, melhor.

Mantenha um caderno de sonhos, anote quaisquer referencias ou manifestações, por menores que sejam. Analise frequentemente seus registros.

Ao término de sua temporada Alquímica, tendo em mãos o sigilo completamente carregado e sua cópia do Necronomicon e do Grimório Imperum, escreva uma invocação/evocação pessoal, e em local previamente preparado (pode ser uma câmara adornada com temática Lovecraftiana ou uma ambientação natural) clame por ELES… Uivando para o fundo do Abismo, o Abismo apontará seus tentáculos para você.

Azi Dahaka.

Ia Ia Cthulhu Ftghen! 

22399_391041774424790_2644098757236729914_n

Anúncios

Um comentário sobre “Lovecraftianos Parte Final – Conclusão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s