Breve comentário sobre Kliffoth

tree2

 

“Junte-se a mim no Outro Lado, o lado noturno do Paraíso.
Sitra Ahra

Beije a Rainha das Qliphoth, ouça a voz das serpentes:

Sitra Ahra

Atravesse o portão além da linha, dê um passo e entre no Ayin”.
Sitra Ahra”

-Therion; “Sitra Ahra”

O texto a seguir foi baseado nos conceitos e textos utilizados pela “MLO/TOTBL e da TOPH” (ambas caminham na mesma direção, embora existam pequenas divergências) de Cabalah Kliffotica, e visa trazer a luz a utilização da Heresia Cabalística dentro do Satanismo, como forma de Oposição ao Judaísmo e suas crenças Sephióticas/Demiurgicas. A manifestação do Chaos dentro do sistema Cabalístico, tão somente.

Ao tratarmos do tema “Cabalah” dentro do Satanismo, é interessante esclarecer primeiro alguns pontos muito importantes e marcantes no tema. O primeiro ponto a ser frisado é que, ao contrário do que determinados autores tem pregado, a Cabalah Kliffotica é BEM diferente da Cabalah Judaica/Hermética, portanto, não há base de comparação entre as três.

Vale a pena lembrar também que a “Cabalah” não é de origem Judaica, tendo tido suas primeiras menções em povos ainda mais antigos, como os Sumérios, Babilônicos, Eslavos, até mesmo os Nórdicos possuem semelhanças em sua tradição com a Cabalah. É literalmente uma “tradição” que permeia entre povos, não sendo única a nenhum, mas variando culturalmente. E estando dentro do Ethos Sinistro, ela será diferente, uma variável Herética destas tradições.

Diferente das outras duas citadas (que são a base principal do estudo dos auto-intitulados “Caminhantes da Mão Direita”; os conceitos da Cabalah Kliffotica foram baseados  em uma heresia estabelecida pelo profeta Nathan de Gaza, o primeiro a estabelecer o conceito de “Luz Criadora e Luz Anti-Cósmica”. Através da sabedoria deste profeta, os pioneiros da corrente 218 aprofundaram-se e desenvolveram a corrente Anti-Cósmica – ou seja, apesar de não fazer parte do Judaísmo, a Cabalah utilizada dentro do Satanismo possui base em uma Heresia.

Portanto, NÂO ADIANTA estabelecer como parâmetro de comparação a opinião de um Judeu. Ele lógicamente vai achar… herético, logicamente!

tree

 

O Chaos dentro dos conceitos Hebreus manifesta-se através de Ain, o “Nada da Divindade”, o “Chaos Zero”, onde havia a liberdade suprema, e através desta liberdade suprema, “Tudo e Nada” ocorriam ao mesmo tempo. Era o plano das Causas sem Efeitos e dos Efeitos sem Causas que os derivassem. O plano do Acausal.

Em determinado ponto, este “Ain” se torna “Ain Sof” quando uma fagulha divina cede a tentação de conhecer o Limite. Assim divide-se, onde um dos lados buscava a própria Limitação e o Outro Lado buscava o retorno ao Chaos Primordial que os havia gerado. O conflito dessas forças primordiais gerou o movimento conhecido como Tzim-Tzum, onde o lado “Limitador” impulsionou o “Outro Lado” para longe de si, rompendo a si mesmo em dois, e atirando sua metade Caótica para além do Abismo de Tehiru (Vácuo) criado pela separação.

O Lado Limitador então estabelece a sua “Árvore da Vida” e em sua coroa (Kether) estabeleceu YHWH como Demiurgo, arquiteto universal que deu origem a criação de todo Universo Causal. Em contraposição, o Outro Lado teve que mimetizar as forças de seu gêmeo-oponente, criando a Árvore da Morte e colocando HWHY em seu topo, para reverter o processo de criação do Causal, levando o Lado Limitador de volta ao Chaos Primordial, o reabsorvendo nas forças Acausais.

Dentro de seu espaço limitador, YHWH gera o Éden e a esfera de Daath (Conhecimento), que continha em si fagulhas do Chaos Primordial – sendo conectada diretamente com o Outro Lado, além do Abismo. Devido a presença poluidora deste Chaos, o Fruto Proibido da Árvore da vida foi gerado contendo em si a semente de Chaos – que ingerida pela humanidade, introduz nos Nascidos da Argila a Chama Negra e a descendência da Serpente-Samael.

Através da alegoria da criação das árvores de LVX e NOX podemos não apenas relacionar com outros mitos anteriores ao Judaísmo (como por exemplo o Sangue de Kingu), como também ver que os Deuses com “Nomes” e “Símbolos” surgiram apenas posteriormente a Humanidade. Foi algo que nós necessitamos para compreender e entrar em contato com estas forças (de ambos os lados) aqui do plano limitado onde nos encontramos, distante de ambas essências Primordiais.

Outro fato a ser analisado e entendido é o Objetivo do Satanismo Tradicional de trazer  O Universo para o Chaos Primordial! Satanismo não é uma crença “bonitinha no amor de Satã” e muito menos algo que se prega “da boca pra fora”. Satanismo é o nome exotérico da ChaoSophia, compreendida em sua totalidade somente pelos que se dedicam a ela e se Iniciam na mesma.

Mas indo além do “Satanismo” e de qualquer corrente filosófica, a Árvore da Morte pode ser utilizada como um ótimo recurso para os Caminhantes da Mão Esquerda utilizarem como recurso de Sabedoria em suas práticas, deixando de lado os preconceitos estabelecidos pelos “RHP” da vida, que não compreendem os aspectos Kliffoticos em sua totalidade.

Uma Sabedoria vinda do Abismo.

Malachi.

 

Tree-of-Life-and-Shadow

11.

Anúncios

14 comentários sobre “Breve comentário sobre Kliffoth

  1. Maha Kali ou Ialdabaoth se tornaram conceitos de Dharma no Ocidente, revelações da razão sobre o abismo das paixões sucúbicas de Naamah e da força geradora de Ardat Lilu, conceitos telúricos da corrente La Guivre para Nahash, onde Kingu foi armado como oponente e reprodutor através do sangue escurecendo a cada semente gerada pelo Opositor, Arthos e a Libertação de Moksha através do chakra sem nome através de Daath.218…e eu sei ainda que muitos voltarão ao país das conchas!!!!!!!

  2. V.'.I.'.M.'.T.'.

    Seu texto está muito explicativo e muito bem Direcionado…Livres de tabus dos falsos dogmas,e dos desentendidos… Fico grato pelo post!

  3. Rafael

    Foi uma leitura interessante quanto encontrei esse site na net eu não estava procurando por fazer pactos ou ficar rico do dia para noite apenas buscando por conhecimento e entendimento e eu encontrei aqui. esse site me ajudou muito mais meu caminho é o ateísmo.

  4. sinopticos19

    Malachi,

    Talvez eu tenha começar a entender o cerne dos seus artigos:
    O lado de Ain que buscava a própria Limitação acabou criando um universo de sofrimento, pois a limitação é a causa do sofrimento.
    Retornar ao Chaos Primordial, é ,portanto , retornar a um estado de felicidade sem limites, a um estado sem sofrimento.
    O que escrevi tem algum sentido?

    José Elias

  5. DeborahNovais

    Agradeço imensamente pelo belo texto, incrível e elucidativo…. Sempre quis saber sobre a Arvore da Morte, mais perguntava a vários cabalistas e nunca quiseram me responder de forma satisfatória, sempre diziam o qto é perigoso e etc… Mt obrigada !!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s