ONA: Ordem dos 9 Ângulos I – Origens e Ideais

79_online

Conhecida por carregar a alcunha de “A mais Sinistra e obscura das Ordens”, a ONA (ou O9A) foi fundada em 1960, através da fusão de três “grupos” de ocultistas (sendo um deles ligado a bruxaria tradicional – e liderado por uma mulher) denominados Camlad, Noctulians e Temple of the Black Sun.

  Após a fusão e a reformulação de crenças, a sacerdotisa líder mudou-se para a Austrália, deixando o encargo do grupo para um homem chamado Anton Long, em 1972. Anton passou então a expressar seus ideais através de pequenos documentos curtos, conhecidos como “manuscritos”, que eram datilografados e enviados aos membros, entre eles estava o “Codex Saerus” ou o “Livro negro de Satan” como uma base para a ritualística dos grupos. Assim foi o início da tradição denominada como “Satanismo Tradicional” (termo cunhado pelo próprio Anton Long para distinguir do “Satanismo Moderno” criado por Lavey em 69.

A fusão dos três grupos formou uma pequena célula original da ONA, contendo por volta de 10-12 membros. O ingresso de amigos, familiares e pessoas de confiança fez essas células se alastrarem pela Europa, passando a ser conhecidas como “Nexions” ou “tribos”, que seguiam uma ideologia totalmente nova fundada e idealizada pela Célula primordial. Dentro do culto principal foi adotada uma ideia desenvolvida por David Myatt em meados de 70, denominada como “Seven Fold Way” em seus manuscritos, tratando o caminho septenário de uma forma intensa, utilizando de ritos sexuais, tarefas de intenso esforço físico e isolamento social. Nesta década também foi desenvolvida uma das ferramentas mais brilhantes de evolução, o Star Game.
Em meados de 80, Christos Beest (conhecido como “Beest Boy” -nome real “Richard Moult), um talentoso artista (dentro da tradição um “Balobian”) ingressou na ordem e passou a, através de sua arte propagar a ONA e ser seu “frontman” e relações públicas. Ele foi também o responsável pela criação do “Tarot Sinistro” e outras obras de arte ligadas ao caminho. Thorold West cria nesta época o manuscrito “NAOS Alpha” e o publica no zine de livre circulação “Fenrir”, pertencente a ONA. Este zine foi o responsável por toda fama da ONA e pela grande circulação de seu material por todo o mundo, muito antes da “ordem” aparecer na internet.

Em 1996, Beest sai da “publicidade” da ordem e se recolhe. Michael W. Ford (que usava o nome “Thornian”) assume como relações publicas da ordem até o ano 2000, quando se retira e funda a Order of Phosphorus, com um novo caminho espiritual, mas ainda portando influencias de sua estadia interna na ordem. Em meados de 2011, o Temple of Them e a WSA352 se revelam a público como nexions oficiais, tornando-se famosos e divulgando o material para adeptos do 7FW pela internet de forma livre – utilizando-se da ferramenta da mesma forma que outrora utilizou-se do Zine “Fenrir”. No Brasil a ordem ganhou mais destaque devido a postagem “NAOS – Alquimia Proibida” no Morte Súbita, onde um dos participantes vinculou o conteúdo traduzido para o português.

Com o passar dos anos, a ordem mudou muito, de objetivos e abordagens. Muitos Manuscritos antigos são adaptados para a nova realidade e objetivos de cada nexion, sendo apenas diretrizes para as tribos – jamais uma referência “oficial” ou obrigatória.

E esta é a trajetória da ONA expressa realmente, conforme os Manuscritos e registros.

Ideais

Apesar do nome, a ONA não é uma ordem, oficialmente falando. Ela é um método, um caminho, aplicado por grupos de tribos. Para ser da ONA, basta realizar as práticas e filosofias, mesmo que de forma solitária. Não há líderes, ninguém pra te dizer o que fazer, não há organização oficial, em hipótese alguma existem cobranças sexuais, monetárias ou ingresso de menores de idade (tendo em vista que só se pode exercer o caminho septnário a partir da maturidade). Não há também nenhum “conteúdo ultra secreto” relacionado, não há atividade “oculta na internet ou deepweb” ou algo do tipo. Todo material é aberto aos adeptos que desejarem ter acesso.

Não é também Nazista. Na verdade  não é política, seus membros podendo adotar como visão aquela que bem desejar, não sendo de responsabilidade da ONA – Isso inclui o Nazismo.

Não é Racista, pois todos, de todas as raças e credos anteriores podem ter a oportunidade de se relacionar com o caminho proposto.  No entanto a visão judaico-cristã é totalmente dispensável para a ordem e por muitas vezes condenada.

Não tem suas ideias expressas por movimentos “ligados ao metal/rock/black metal” da forma como outras ordens (que falarei depois). Na verdade ela considera o “metal” uma música retrógrada, preferindo artistas clássicos e eruditos.

É de certa forma Niilista e baseia-se em escritores com a mesma visão.

Também NÃO É atualmente uma ordem satanista, tendo em vista que aquilo que se denomina “Satanismo” atualmente não corresponde mais as essências da ordem, nem a seus objetivos. No entanto ela ainda é Satanista por considerar Satan uma emanação do Caos e um dos Deuses Negros (e sim, é paradoxal).

Na próxima postagem, falarei um pouco sobre as práticas e Mythos da famigerada “Ordem dos Nove Ângulos”.

An_Da_ShealladhUma das artes de “Beest”.

     Agios O Vindex

Azi Dahaka

124 Year of Fayen

Anúncios

19 comentários sobre “ONA: Ordem dos 9 Ângulos I – Origens e Ideais

  1. Marvin

    Finalmente um verdadeiro mestre da área resolveu falar sobre a ONA. sem as ignorancias de quem não é do ramo. Muito orgulho do senhor, mestre. E não ligue para as difamações do del debbio, ele só queria ser metade do que o senhor é.

  2. Nefesh

    O conhecimento verdadeiro só está disponível àqueles realmente interessados em recebê-lo, (in?)felizmente.

    Apesar de todas as “picuinhas” que andam fazendo contigo, Malachi, é ótimo ver que você se sobressai pelo domínio dos assuntos, e não pela infantilidade que andam utilizando para atacá-lo.

    Excelente texto, como sempre.

  3. Fernando Cruz

    Olá amigo, gostei muito do post. Estou a procura de materiais da ONA, pois, estou fazendo uma pesquisa para um trabalho, porém, quase tudo o que acho é tendencioso ou mentiroso, com exceção deste post (Foi o primeiro que achei falando sobre o que entendo da ONA e de forma sincera), por favor, se você tiver algum material disponível, eu gostaria de recebê-lo.

    Obrigado!

  4. A um tempo li alguns materiais fragmentados, e hoje Neste exato momento encontro a fonte!

    Tenho um interesse em me tornar um “Adepto Externo” e trilhar o caminho para quem sabe galgar um posto interno, se possível for!

  5. dark side the moon

    Acredito que alguns do que procuram esse tipo de coisa devem ter problemas, mas em suma devemos sempre separar o joio do trigo, mas em suma à doutrina procura a ascensão e o desbravamento do oculto e de meu extremo interesse e gostaria de agradecer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s