Ghost B.C. e o Diabo na Música

1230010_592104114181712_1136555733_n

Ghost é uma banda sueca, formada em 2008, que conta até agora com dois cds (Opus Eponymus e Infestissuman) e alguns EP´s.  O som da banda se destaca por remeter aos anos 80, e indo na contramão de outras bandas com temática “Satanista”, sendo bem suave e tranquilo, com vocais limpos e instrumental muitas vezes calmo.

A banda é formada por Papa Emeritus (Atualmente pelo Papa Emeritus II – valendo lembrar “Emeritus”, do Latim “Aquele que foi eleito, que mereceu”) e pelos “Ghouls sem nome”, que se identificam apenas pelos símbolos alquímicos dos 5 elementos (incluindo o Éter).  Não, eles nunca disseram e nem pretendem dizer quem são. Isso, a meu ver, cria uma atmosfera ainda mais voltada ao Satanismo – não pelo “mistério” das identidades, mas pela ausência total de Ego. Todos sendo iguais e anônimos, destruindo o Ego e gerando uma coletividade que achei muito digna de determinadas correntes satanistas…

Não posso afirmar que a banda de fato é ocultista, mas duas coisas são fato: A primeira é que as letras devem ser cuidadosamente analisadas, pois a banda realmente estudou o que diz. E a segunda, ocultistas/satanistas ou não, Ghost BC passa uma mensagem por si mesmos, criticando a Igreja Católica e religiões em geral e sobre o medo que o homem possui do Sobrenatural.

E é justamente a carga de peso ocultista na banda que fez render uma certa repercussão após o show da banda no Rock In Rio 2013.  A “missa satânica” como o próprio Papa intitulou o show, recebeu vaias, foi chamada de “chata e tediosa”, teatral demais e – segundo alguns repórteres da Rede Globo, a banda foi tida como “nada assustadora, sem nenhuma exigência extravagante nos camarins, pedindo até comida vegetariana”.

Ora, caímos aí na mesma questão que abordei em meu texto “Satanismo Tradicional” publicado no Teoria da Conspiração: Um Satanista deve render-se a estereótipos comportamentais e ser um mau educado, imprestável e exercer de má fé sua função? Críticas infundadas a parte, o visual e as letras da banda, que são bem explícitas, levaram revolta aos “metaleiros que resolveram bancar bons cristãos” enquanto se entorpeciam de maconha durante o show.  E mais revolta ainda nas redes sociais  evangélicas/ católicas. É, dessa vez pisaram no pé dos católicos brasileiros também.

Honestamente eu já esperava por algo assim, em uma sociedade hipócrita a ponto de sexo com menores ser algo incentivado e explicitado, mas meramente dizer as palavras “Hail Satan” em um refrão deva ser totalmente censurado sem piedade! De fato, o Ghost B.C. é a última coisa nisso que realmente assusta.

Há de se mencionar a reação contrária do público, em geral. Enquanto eu (e mais grande parte a minha volta) entoávamos as letras, eu podia ouvir um ou dois a volta dizendo absurdos como “eles só pagam de satanistas pra imitar o ozzy”, “Slayer que é satanista de verdade” e outras coisas do mesmo valor absurdo.  Ainda assim, essa interferência estúpida e a falta de etiqueta (já esperada) do povão brasileiro não interferiu no grande concerto que aconteceu.  Ver a banda ao vivo é uma experiência muito agradável, realmente.

Quase uma missa satânica verdadeiramente, causando revolta em muitos e agradando a poucos – Exatamente como o Satanismo deve ser!  Se o Ghost queria ser o “Diabo na música“, definitivamente conseguiram essa atenção. A banda mais odiada, comentada e censurada no RiR. Definitivamente, eles merecem os títulos que apresentam.

Eu, aproveitei para durante algumas músicas, erguer um sigilo que pintei em uma folha, para da mesma forma que feito anteriormente em um show do Metallica durante a criação de uma Egrégora, eu captasse a gnose/energia necessária nesse show e canalizasse a um sigilo de intento. O fiz (obviamente de forma discreta) no momento que achei o ápice da apresentação (coincidentemente enquanto Papa Emeritus também ergueu suas mãos em forma de “benção”).

No fim, a noite valeu a pena. Uma ótima apresentação, com muito psicodrama, um som que valeu a pena curtir e uma banda perfeita de se assistir ao vivo. Nota 10 pra essa experiência e – tenho certeza, para este experimento que realizo pela primeira vez em uma oportunidade épica.

ghost 648

E pra quem nunca curtiu o som dos caras, recomendo minha música favorita:

11.

Anúncios

14 comentários sobre “Ghost B.C. e o Diabo na Música

  1. Nice comments ! I really do prefer more “death-metal” oriented bands, and do not misunderstand me, i like Ghost very much.
    Andt to see the repercussion in the media and among the hypocritical moralists just let me glad. And the music i like the most is “Moonstrance Clock” too.

  2. Tato

    Li seu blog e pelo que entendi vocês entendem a forma como o mundo espiritual funciona, até da lei de ação e reação você falou em um comentário. Só que mesmo com todo esse conhecimento vocês preferem cultivar energias funestas, o que não é nada saudável. Claro que vocês devem alegar que sabem do risco que correm. Mas ao cultivar essas energias vocês alimentam entidades exteriores a vocês da qual não há como deter controle absoluto, o que faz com que problemas sejam inevitáveis, não importa se de curto ou longo prazo. Além do que, ao trabalhar com essas energias vocês aumentam o sofrimento de um monte de gente no mundo astral e aqui na Terra também. O problema é que para fazer isso é preciso fazer mal para um ser humano porque a forma-pensamento evocada precisa pegar a energia de alguém. Digo isso porque vou com frequência as zonas umbralinas prestar socorro e já cansei de ver formas-pensamentos evocadas por magos buscando energias de medo e terror dos doentes de lá. Aí vocês devem pensar… pronto, só vou trabalhar com energia sexual ou energias que eu mesmo possa produzir apenas. O problema disso, é que a forma pensamento criada, continua ativa depois de seus rituais. Ela não se desfaz e fica lá no Umbral tocando o terror em gente desequilibrada. Outro problema com os magos que trabalham com emoções de baixa vibração é que depois que desencarnam muitos entram em licantropia( que é um estado mental semelhante ao de um animal selvagem), isso eu não sei muito como acontece, mas fica evidente o sofrimento dos licantropos. E outros magos entram em uma espécie de coma, por perceberem o mal que fizeram e não conseguirem lidar com isso.
    As energias mais fortes para operar milagres em nossas vidas são o amor, a caridade, a conduta ética, a fé em Deus e em Cristo.
    Espero que vocês tenham paciência de ler até o final e ao menos reflitam sobre o que escrevi pois é um assunto muito sério.
    Desejo a vocês o melhor que tenham em si.
    Até.

    1. Lauro

      Então se eu não causar “mal” a alguém posso escutar Ghost e nada vai me acontecer certo? Tato se liga meu, tem muita coisa pior do que uma banda com tema Satanista no nosso mundo.

      Escuto Ghost e sei que isso não vai influenciar quando os meus dias na Terra acabarem.

  3. Hellishmugwarrior

    Well. Bom texto, bem geral sobre o Ghost e sua vinda ao Brasil. A recepção não foi tão negativa assim. Eu mesmo, no lugar onde estava no Rock in Rio, não escutei vaias ou gente reclamando. Me surpreendi com o “NOOO” de resposta quando o James do Metallica perguntou se eles gostaram do Ghost (e também ri da reação dele). Fiquei mais surpreso ainda quando vi a repercussão do show na mídia. Onde eu estava durante o show, não me parecia que tinha sido tão negativo.
    Mas eu me sinto na obrigação de corrigir um detalhe pequeno. Apesar de algumas influências sim dos anos 80, Mercyful Fate a mais notória, a maior parte da musicalidade do Ghost vem dos anos 60 e 70, com bandas como Black Sabbath, Blue Öyster Cult, Abba, Beatles mais uma lista longa. Aliás é muito claro a apropriação da ideologia da “Música como filme de terror” própria do Black Sabbath pelo Ghost.

  4. Sacerdotisa de Sathanas

    Ghost B.C e uma das melhores bandas satanicas da atualidade , o Rock In Rio que e uma lastima , o Brasil e uma p**** mesmo estou imaginando o proximo Rock In Rio com Gasparzinho , Claudia Leite ,Paula Fernandes e Taylor Swift kkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Adimiron Sorath

    embora as letras sejam divertidas (como a de Year Zero), achei o som leve demais e muito moderno.
    Tem um ‘toque’ de peso, mas tb tem um ‘toque’ de bandas muito novas de rock super levinho que não me agrada.

  6. Rafael

    Gostei dessa banda curti o som demais. é não igual a umas bandas que dizem abusem de álcool, sexo e drogas. mais eu achei que fossem sátiro.

    Para mim mensagem maligna é isso que normativa o ato de se embebedar e cair de bêbado por isso http://letras.mus.br/ivete-sangalo/1375625/

    Eu sempre chamo estilo como Rave, Funk, Sertanejo e Gospel de músicas satânicas. conhecendo o ambiente isso não tem nada a ver com satanismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s