Refutaram o LHP/CME?

Esse post vai ser rápido, porque não quero me alongar nisso. Esses dias vi algumas dúzias de textos e vídeos atacando meu trabalho e o caminho que eu sigo. Então serei breve. Este texto não é princípio de debate e nem direcionado a ninguém em especial (real, eu tenho mais o que fazer…), logo não se sintam especiais e se querem ver treta, pode dar meia volta deste ponto.

Continuar lendo “Refutaram o LHP/CME?”

Goétia para preguiçosos

Crianças brincando de evocar o pata rachada.

Já é lugar comum aqui pelo blog a gente afirmar que ‘Ars Goétia’ não é uma ‘lista de entidade’ e sim uma CHAVE ritualística extremamente útil e poderosa quando bem utilizada. Ela não se trata da lista por várias razões, mas as principais é que ficou um galerão de fora (ou você realmente acha que só existem 72 demônios por aí?) e por ser uma metodologia realmente tardia e não medievalista como narra o mito na qual foi envolto. Ainda que parta do imaginário medieval, a Goétia se situa temporalmente bem posterior a esta.

Claro, como um método tentador de resolver seus problemas de forma ‘fácil’ (ledo engano!) a arte da evocação pela goétia caiu no gosto popular e sofreu com inúmeras distorções em seus sistemas. Vou listar a seguir algumas de formas de como NÃO FAZER goétia e um apontamento sobre POR ONDE COMEÇAR DE FATO. Vou frisar que nós não recomendamos nenhum dos métodos abaixo, que são altamente reprováveis e podem acarretar em erros significantes na sua vida então, não inventem moda. Nós queremos que você se f não nos responsabilizamos caso você faça bobagem por métodos que não recomendamos e estão aqui a fins de estudo.

Continuar lendo “Goétia para preguiçosos”

O Manual do Necromante [Divulgação]

O Manual do Necromante foi escrito para aqueles que desejam ingressar nos trabalhos ritualísticos da linha dos ossos, sejam iniciantes ou aqueles que almejam outras perspectivas em seus estudos.

O livro constroi sua base mediante a figura lendaria de Erichto Crude, a necromante Tessaliana descrita por Lucano em seu épico “Pharsálida: The bellum civili”.

O tomo referencia o culto a Erebus, deus da escuridão do panteão titãnico grego, embora deixe brechas para o paticante moldar conforme sua vontade o proprio culto.

A publicação possui 180 páginas, contendo análises historicas, filosoficas e práticas, compiladas ao longo de anos de estudos pelo autor. Inclui ainda as belas ilustrações de Paula Rueda e Igor Corvo.

Apesar das varias boas editoras presentes no cenario brasileiro, dos quais somos consumidores, o autor decidiu pela auto publicação para o livro em questão numa tentativa de preservar ao maximo seu conteúdo e originalidade.

O livro estará disponivel para compra por tempo limitado no link abaixo.

Uma Crítica aos 40 Servidores do Caos

Não é de hoje que a “garotada da internet” vem criando um sistema de magia mais fácil e simplificado que o anterior. Começou com a mutilação da Goétia, depois o surgimento do Kingdom of Flames e nos últimos anos, com “Os 40 servidores do caos” do Tommie Kelly.

A premissa é sempre a mesma: Uma listinha de entidades gente boa que farão tudo pra você, por um precinho camarada. Um orgasmo, um copo dágua (coisas que dizem por aí, não se nega a ninguém) e um post no facebook. Parece o sonho do jeitinho brasileiro. Sexo, grana e todos os problemas resolvidos por um baixíssimo custo. Quando a esmola é muita eu sempre levanto a bandeira da dúvida e andei refletindo sobre o sistema por aqui e destacarei alguns pontos dessa reflexão.

Continuar lendo “Uma Crítica aos 40 Servidores do Caos”

Marzanna, Deusa do Frio

Marzanna por Meggie M

Na mitologia eslava, Marzanna é a Deusa que representa o Frio e o Inverno. Ela possui vários nomes, mas todos seus epítetos são considerados malignos. Associada a roda da vida, a passagem do tempo e dos anos e assim representando o estágio final de velhice e morte dos homens. Ela é irmã de Zhiva (Verão) e Lada (Outono).

Continuar lendo “Marzanna, Deusa do Frio”

Divulgação: MALUM MEMORIUM

MALUM MEMORIUM é uma antologia de relatos verídicos, narrados por 13 escritores em um livro para aqueles que gostam de literatura de Terror. Como aqui no Arauto nós apreciamos as Artes como formas de magia, não poderia faltar nosso apoio em divulgação.

A Antologia é organizada por Raul Dias e pela editora Serpentarius. O projeto já está disponível no Catarse para aqueles que se interessarem em adquirir o livro, com direito a brindes bem interessantes pela sua colaboração.

O link para quem desejar apoiar o projeto é catarse.me/malum

Sigam também a editora Sepentarius no instagram @serpentariuseditora

A Irresponsabilidade dos ‘Digital Influencers’ Ocultistas

Arte por Seb Mckinnon

Esse não é o tipo de texto que costuma ter muitas visualizações ou curtidas. Não é o tipo de texto que está aqui pra te ensinar a evocar o cramunhão ou algo parecido, mas pra tentar instigar algum pensamento e reflexão – coisas que andam visivelmente faltando na humanidade. É nesse tipo de discurso que a gente separa o adolescente ‘edgy’ e a galera que realmente quer aprender.

Bem, quando eu comecei a entrar na internet com finalidade de estudar ocultismo eu já tinha quase meus 18 anos. Antes disso eu me reunia com amigos, trocava disquetes com arquivos de word ou simplesmente garimpava ao máximo nos sebos espalhados pelo centro do Rio de Janeiro até achar algum livro que fosse bom, não envolvesse Kardec ou Eddie van Feu. Acreditem, precisava ser um BOM garimpeiro para isso.

Depois veio a geração dos fóruns e comunidades no orkut. Claro, de lá pra cá muita coisa evoluiu e isso foi bom. Avanços tecnológicos, toda inovação, celulares, facebook e todo acesso a um mundo de material. Com essa onda que, muitos outros além de mim também surfaram em um mar de pdfs, contatos com grupos estrangeiros, ordens e covens que estenderam seus tentáculos através dos oceanos e toda aquela coisa. Dava pra fazer um livro ou filme sobre isso, tamanha riqueza dessa revolução ‘esotérica’ no início dos anos 2000 e que agora, em 2021, está em seu auge.

Continuar lendo “A Irresponsabilidade dos ‘Digital Influencers’ Ocultistas”

A Arte como Ritualística Sinistra

Uma breve introdução a produção artística sinistra após experiências pessoais

O artista, use ele quaisquer mídias a sua disposição (música, dança, ilustração e outros), não deixa de estar em contato com estados mais elevados de consciência. Nesse sentido, podemos dizer que existe um “transe” enquanto se produz algo artísticamente. Estudiosos dos processos cerebrais podem ver surgir estados tal como o padrão Alfa das frequências mentais, que também se revela em estados meditativos. Esse transe artístico, por assim dizer, quando utilizado de forma consciente e compreendida pode ser sim uma forma básica de ritual.

Por várias vezes em meus estudos de desenho e ilustrações consegui me ver em um estado análogo ao meditativo onde claramente a noção de tempo, por exemplo, se tornou irrelevante. A imersão nas formas, nos traços, nas técnicas lentamente foi levando a mente a esse estado.

Continuar lendo “A Arte como Ritualística Sinistra”

São Cipriano: Fato ou Ficção? O Santo dos Necromantes

“Como galo canta, e o burro rincha, o sino toca e a cabra berra, assim você vai andar atrás de mim. … A luta vou vencer com os poderes da cabra preta milagrosa.”

Uma das figuras mais controversas e misteriosas da magia no Brasil é sem dúvidas o santo conhecido por São Cipriano e seu famigerado ‘Livro da Capa Preta’, o qual rendeu infinitas versões e variações diferentes de um sem número de autores espalhados pelo país.

No entanto, por ser uma figura muito associada ao Cristianismo, especialmente ao catolicismo medieval, é também uma figura alvo de muita crítica e até mesmo acusada largamente de ser uma mera ‘farsa cristã’ para sujar o nome da magia e da bruxaria.

A seguir, tentaremos analisar alguns pontos e pormenores desta polêmica figura, para alcançar algumas conclusões sobre seu possível (ou não) uso prático na Magia.

Continuar lendo “São Cipriano: Fato ou Ficção? O Santo dos Necromantes”

Succubus: A Farsa que não te contaram

Arte por Samuel de Cruz

“She’s a witch, a siren, and a vampyre
She has come from the distant stars
To take your heart
To break your heart”
-Inkubus Sukkubus, “Hearth of Lilith”

Antes de começar esse post em si, gostaria de agradecer a todos pelo suporte, leituras, divulgações e apoio ao Arauto do Chaos. É realmente importante saber que, mesmo em um cenário saturado de autores e com tanto material bom, a gente consegue manter um ótimo publico nesse blog. Ontem completamos 8 anos de existência, então parabéns a nós. Agora, ao que importa.

De todos os assuntos romantizados pelos ‘ocultistas de internet’, um dos (se não for o mais) idealizado e vítima de fantasia são as Sucubus e o ‘Sexo astral’. Eu já tratei anteriormente neste blog sobre esse assunto, mas sempre é possível aprofundar mais e também deixar alguns alertas por aqui.

Continuar lendo “Succubus: A Farsa que não te contaram”